Fauna & Flora
Sobre São Tomé e Príncipe
Fauna & Flora
Fauna & Flora

Em termos paisagísticos, a imagem de marca das ilhas é o verde exuberante conferido pela vegetação luxuriante e pelas cerradas florestas características dos trópicos, que se estendem desde os picos do interior, passando pelos vales contíguos e que se espraiam até ao litoral, constantemente bordejado por coqueiros, palmeiras, embondeiros e áreas de mangal. São Tomé e Príncipe são dois pontos verdes rodeados pelo azul do Atlântico, não surpreendendo que tenham sido recenseadas cerca de 800 plantas, 120 das quais endémicas. Algumas flores despertam sempre a atenção dos turistas: a rosa de porcelana, a rosa vermelha-alaranjada, os bicos de papagaio e a begónia gigante são as mais admiradas. De maior porte, a floresta primitiva, com grandes áreas pouco exploradas ou mesmo virgens, é designada por “Obô”, com inúmeros exemplares de plantas endémicas, mas que acabou, com o passar dos séculos, por se mesclar um pouco com culturas ali introduzidas pelos colonos, dando origem a uma formação secundária chamada de “Capoeira”. O certo é que os dois tipos de flora cobrem cerca de 60% do território. Um pouco distinta, e surpreendente no contexto geral, é a savana que marca cenicamente a zona norte e nordeste da ilha de São Tomé e que se deve à intervenção humana, essencialmente devido à cultura da cana-de-açúcar, que desbastou grandes extensões desta zona.

Em termos faunísticos, e atendendo ao clima e à flora do arquipélago, as ilhas são extraordinariamente diversificadas no que diz respeito às espécies animais, com grande predominância de géneros endémicos, com destaque para os pássaros – 30% deles são endémicos e contam-se entre alguns dos mais raros do mundo. Muito mais facilmente distinguíveis são as diversas espécies de borboletas, periquitos e rolas. Mais raro, é o ex-líbris da ilha do Príncipe, o invulgar papagaio cinzento. Quanto ao risco humano em contacto com animais – além, obviamente, do insecto da malária –, há que ter atenção para com a temível cobra preta, que, felizmente, não se encontra em zonas habitadas. Antes pelo contrário, refugia-se da acção predadora do homem nas montanhas e nas florestas cerradas do centro das ilhas – onde quase ninguém vai. No que diz respeito ao mar, a fauna marinha é um dos grandes atractivos: tartarugas, barracudas, espadartes, golfinhos, baleias, atuns e garoupas de generosas dimensões fazem o deleite dos mergulhadores ou dos simples observadores.


Fonte: www.guiastp.st

Comentários